Sábado, 23 de Outubro de 2021 11:08
98 98141-3481
Saúde Mas será o Benedito?

URGENTE: Prefeitura de Itapecuru acelera vacinação após MP decidir fiscalizar campanhas em municípios

O procurador-geral de justiça do MA quer saber onde estão 600 mil doses que não aparecem como aplicadas

01/06/2021 21h16 Atualizada há 5 meses
Por: Alberto Júnior Fonte: Da Redação
Local de vacinação na Biblioteca Pública Benedito Buzar, Itapecuru Mirim. Foto: João do Bragança.
Local de vacinação na Biblioteca Pública Benedito Buzar, Itapecuru Mirim. Foto: João do Bragança.

Após a Procuradoria-Geral de Justiça no Maranhão anunciar que vai iniciar o mês de junho com uma força-tarefa no estado, a prefeitura de Itapecuru Mirim repentinamente decidiu acelerar a campanha de vacinação no município.

No meio da tarde desta terça (01) a gestão Coroba divulgou em suas redes sociais ação chamada de Dia D de imunização para 12 categorias, ignorando o cronograma de faixa etária recomendada pelos programas nacional e estadual de combate à pandemia.

O trabalho esperado com ansiedade e apreensão pelos moradores nos últimos seis meses, de repente, será realizado em surpreendentes três dias. 1° e 02 de junho, hoje e amanhã, será a vez de taxista, moto taxistas, motoristas de vans e ônibus, caminhoneiros, moto boys, garis, catadores de resíduos, trabalhadores da coleta de lixo, pessoas que trabalham no tratamento de água e esgoto, trabalhadores da construção civil, pessoas com comorbidades e deficientes permanentes.

Há uma reclamação recorrente na cidade sobre a falta de informações precisas, principalmente para moradores da zona rural que não têm acesso à internet e assim não recebem as divulgações da prefeitura feitas exclusivamente via redes sociais.

A decisão de imunizar profissionais dos grupos convocados para a vacinação foi tão repentina que eles próprios ficaram confusos sobre idade e documentos necessários para receberem as doses. Para um taxista, que pediu para não ser identificado, "seria muito bom se o prefeito colocasse os carros de som na rua. Tem muita gente que não sabe e os que sabem têm muitas dúvidas, carro de som todo mundo ouve. Eu vou esperar o programa Rota 90 amanhã porque o Alberto e o Telmar explicam direitinho, assim como eu tem muita gente." Declarou.

Na quinta-feira (03) será a vez dos trabalhadores da indústria, de acordo o cronograma do município. Porém, os comerciários questionam por qual motivo eles não tiveram prioridade já que passam o dia a lidar com o público no cotidiano atendendo à comunidade.

Em evento realizado na Procuradoria-Geral de Justiça do Maranhão, na capital São Luís, sexta-feira (28), o procurador-geral, Eduardo Nicolau, foi enfático ao tratar sobre as 600 mil doses da vacina contra a COVID-19 enviadas aos 217 municípios.

"Nós queremos ter certeza de que estas vacinas estão sendo aplicadas. Se os dados não mudarem até o fim do prazo estipulado, nós teremos que tomar medidas judiciais contra os gestores responsáveis pela aplicação", disse o procurador-geral em seu discurso de abertura.

A reunião contou ainda com a presença do vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE), Washington Oliveira; o presidente da Federação dos Municípios do Maranhão (FAMEM), Erlânio Xavier; o procurador-geral do Ministério Público de Contas, Jairo Cavalcanti e o secretário de saúde do município de São Luís, Joel Nogueira Nunes Júnior.

O prazo estipulado para que os municípios apresentem dados comprovando aplicação das doses termina na próxima quinta-feira (03). Para o Defensor Público-Geral do Estado, Alberto Bastos, a aceleração da vacinação é importante.

"Precisamos saber se as 600 mil doses ainda não foram aplicadas ou se a aplicação não foi informada ao Ministério da Saúde. Além disso entendemos que a aceleração da imunização é uma das formas de conter a propagação do vírus em todo o estado", enfatizou Bastos.

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias