PANIFICADORA KAROL
OSTEO REABILITH 2020
ITAPECURU 202 ANOS

Itapecuruense comemora 109 anos e fala sobre a cidade de antigamente

Dona Joana Silva é neta de escravos e viveu na zona rural até os 95 anos

14/07/2020 07h06
Por: Alberto Júnior
Fonte: Da Redação
Dona Joana da Silva em entrevista à Itapecuru Webtv. Foto: Reprodução
Dona Joana da Silva em entrevista à Itapecuru Webtv. Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (13) a Itapecuru Webtv iniciou uma série de reportagens que têm como objetivo contar um pouco da história do município de Itapecuru Mirim. O projeto faz parte das comemorações pela passagem de 202 anos de fundação da vila e 150 anos de elevação à condição de cidade. A entrevistada de ontem (13) foi uma itapecuruense centenária que tem muita história pra contar.

Atualmente dona Joana Silva reside na avenida Beira-rio, no centro de Itapecuru Mirim. Foi desfrutando da brisa matinal na ribeira do Itapecuru que ela recebeu a equipe e contou um pouco de sua trajetória, falou sobre as dificuldades enfrentadas antigamente para chegar até a cidade e da travessia feita ainda em canoas, quando não existia a ponte de concreto armado.

Ponte flutuante inaugurada na administração Miguel Fiquene, 1948. Foto: AICLA

 

De acordo com o imortal da Academia Itapecuruense de Ciências, Letras e Artes (AICLA), Josemar Lima, por iniciativa da Associação Comercial local em Agosto de 1948 foi inaugurada a ponte flutuante para servir de passagem a caminhões com carga pesada e facilitar o escoamento de produtos.

"...A ponte flutuante era um primor da engenharia militar desenvolvida durante a segunda Guerra Mundial. Tinha como suporte grandes batelões lacrados e unidos uns aos outros formando um lastro por onde se estendia a estrutura de madeira ou estrado. Esse estrado formava um tablado por onde os veículos se deslocavam vagarosamente, mas com segurança. Não há registro de acidentes graves durante o período de operação do sistema..." (Trecho da crônica Uma Ponte Chamada Saudade e Outras Histórias, Josemar Lima).

Somente em 1 de Julho de 1956, num domingo, foi inaugurada a pote de concreto armado sobre as águas do rio Itapecuru ligando duas extremidades da estrada construída no final dos anos 1930 pelo Departamento Estrada de Rodagem (D.E.R)  que viria a se transformar na BR-222, uma das mais importantes rodovias do Maranhão por servir de principal via para comércio com os estados do Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte. Abaixo registro fotográfico da inauguração.

Acompanhe a seguir entrevista completa concedida ao vivo no programa Itapecuru Notícias, que vai ao ar de segunda a sexta, a partir de meio-dia, pela internet nas páginas da Itapecuru Webtv (facebook, youtube, Instagram e twitter)com retransmissão das rádios Alvorada FM (87,9 Mhz), Palmares FM (106,7 Mhz) e Rádio Mirandense Brasil (Miranda do Norte).

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Itapecuru Mirim - MA
Atualizado às 00h25
24°
Poucas nuvens Máxima: 34° - Mínima: 24°
24°

Sensação

9 km/h

Vento

81%

Umidade

Fonte: Climatempo
OSTEO REABILITH 2020
Municípios
Últimas notícias
PANIFICADORA KAROL
Mais lidas