Domingo, 26 de Setembro de 2021 21:37
98 98141-3481
Política Mas será o Benedito?

Prefeitura atrapalha evento com Tarcísio do Acordeon, mas libera festas na cidade inteira

Tudo porque o organizador não fez campanha para Coroba nas eleições 2020

04/09/2021 18h43 Atualizada há 3 semanas
Por: Alberto Júnior Fonte: Da Redação
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Evento com o artista Tarcísio do Acordeon que aconteceria neste domingo (05) teve que ser adiado para data posterior, após manobra política da gestão municipal para atrapalhar o evento.

Ficou clara a perseguição ao produtor de eventos Jota Batista, da JB Produções, conhecido pela qualidade de seu trabalho na região com shows de grandes proporções e presença de artistas renomados nacionalmente.

Tudo pelo fato de Jota não ter apoiado a chapa de Coroba nas eleições do ano passado. Mas será o Benedito?

Segundo a organização, as alegações para que a prefeitura não liberasse licenças são as mais estranhas possíveis. Duas delas chamam atenção, um ofício do Ministério Público e a desconhecida, até agora, ação da variante Delta do coronavirus em Itapecuru Mirim.

No primeiro caso o MP cita textualmente o Decreto Estadual n° 36.871, de 20 de julho de 2021, que libera a realização de eventos públicos em local aberto e ventilado com o máximo de 400 pessoas para todo o Maranhão e em seguida classifica como piada a Portaria Estadual n° 55, de 17 de agosto de 2020, que trata dos protocolos específicos de medidas sanitárias para realização de eventos públicos e privados de pequeno porte em todo o Maranhão, requerendo que o show dos artistas Tarcísio do Acordeon, João Gomes ou quaisquer outros desta natureza não sejam autorizado.

No mesmo documento a promotoria de justiça da comarca de Itapecuru Mirim é clara ao facultar à prefeitura, caso já tenha autorizado tais eventos e não os tenha revogado as licenças, que "use o seu poder de polícia e fiscalize rigorosamente, fazendo-os cumprir a limitação de público estipulada no Decreto Estadual citado bem como as determinações do Protocolo Sanitário da Casa Civil instituído pela Portaria citada" (texto original).

Ou seja, o MP reconhece que há legislação vigente garantindo a realização de eventos e lembra o poder público local que basta fiscalizar o cumprimento das normas em vigor.

A gestão municipal decidiu por atrapalhar apenas o trabalho do produtor Jota Batista, em todo o município haverá realização de festas com estimativa de público superior a mil pessoas. Tanto na zona rural quanto na sede acontecem apresentações de paredões, carretinha, caminhões de som e radiolas com o aval da prefeitura.

Ainda de acordo com a organização, outra alegação é um ofício da secretaria de saúde do município informando que já há "grande número" de casos da variante Delta do coronavirus registrados em Itapecuru Mirim. Se esta informação for verdadeira, por qual motivo a população não foi alertada até agora? Por que não foram abertos leitos para tratamento de infectados por esta variante? Por que a secretaria de saúde do município ficou calada diante da gravidade deste problema com a letalidade da variante indiana, considerada uma das mais perigosas do mundo? Ou será que é apenas uma artimanha para tentar justificar o injustificável ato de atrapalhar a apresentação de Tarcísio do Acordeon na cidade?

Caso realmente haja o registro deste "grande número" da variante Delta em Itapecuru Mirim, o vírus só se espalharia neste evento e não nos demais que acontecerão durante este final de semana na cidade e interior?

Fato é que não resta qualquer dúvida sobre a motivação da gestão Coroba em barrar o trabalho de quem passou quase dois anos sem poder exercer seu ofício e tirar o sustento da família. Para quem bradava em palanques que não haveria perseguições de natureza alguma em sua gestão, o discurso saiu pior que a encomenda.

Aos fãs resta aguardarem uma nova data para curtir "...cê tem meu whatsapp e quando der vontade, se sentir saudade, se sentir carente ou lembrar da gente, me chama que eu vou..."

Enquanto isso o presidente da República segue ignorando as normas sanitária:

1 comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias