Terça, 05 de Dezembro de 2023
°

Polícia Mas Será o Benedito?

"Carona" usada por Coroba levou Polícia Federal ao prefeito de Santa Inês

Adesão de atas de outros municípios escondia superfaturamentos e irregularidades

29/04/2022 às 08h40 Atualizada em 30/04/2022 às 11h38
Por: Redação Fonte: Com informações do Portal G1 MA e PF
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A operação da Polícia Federal realizada nesta quarta-feira (27) em São Luís, Santa Inês, Caxias e Teresina levou ao afastamento do prefeito de Santa Inês, além de secretários municipais e membros da Comissão Permanente de Licitação (CPL) do município.

Denominada de "Free Rider" (Carona, em inglês) a operação teve como objetivo irregularidades na compra de medicamentos e insumos hospitalares, através da Adesão de Ata de Registro de Preço realizada em outros municípios, também conhecida como modalidade "carona". 

Segundo a PF este tipo de artifício jurídico era usado para maquiar os processos licitatórios previamente montados com valores superfaturados. Além do prefeito Felipe dos Pneus, foram afastados do cargo seu chefe de gabinete, as secretárias de saúde e administração, o diretor de compras, o chefe da CPL e outros dois servidores ligados ao esquema.

A prefeitura de Itapecuru Mirim, na gestão Benedito Coroba, tem usado regularmente este tipo de Adesão de Ata de Registro de Preços, realizada em outros municípios, para contratar empresas e aplicar o dinheiro público.

 Exemplo disto foi a contratação da empresa para reforma e manutenção de pontes de madeira nas estradas vicinais, além da reforma de escolas.

Ano passado a gestão Coroba assinou contrato no valor de quase R$ 2 milhões com a empresa Rocha Distribuidora, alvo da Polícia Federal na cidade de Santa Inês e que tem contrato com outras 87 prefeituras desde janeiro de 2022, incluindo Itapecuru Mirim.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Anônimo Há 2 anos Itapecuru E a nova licitação realizada de medicamentos está cheia de vícios e beneficiou uma única empresa com 9 milhões (Amazônia Distribuidora). A empresa responsável por realizar o certame desclassificou empresas sem seguir os trâmites legais. Exemplo, abertura p recursos aberto e fechado em intervalos e horários indevidos, após as 18 hrs para que as empresas não tivessem condições de recorrer em tempo hábil. Com esse resultado a empresa vencedora poderá realizar o mesmo modos operandi da Droga Rocha!
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias